Dilema


.





.
.
.

Não me peças para travar

Tantos sentidos,

Não esperes que te esqueça,

Somos iguais…

.

Fecho os olhos,

Lembro gestos bem medidos,

Abre os teus,

Lança-os em mim

Eu quero mais.

As nossas bocas

Sempre que juntas

Bem desvairadas,

Procuram doces

Trocam gemidos

São geniais.

.

Não me peças para ficar

Não que eu não queira.

Mas se eu fico

Meu amor

Perdemos mais…

.

.

By Bollamaria

.

.




1 comentário:

MADRUGADA... disse...

Belo poema...!

Cumprimentos.