Ó faxavor




Anda aqui uma pessoa cheia de boas intenções, a espalhar emoções, a arriscar a pele de galinha para quê?
É só animais esventrados e maledicência é?
Ou então imagens pequeno burguesas a distrair a audiência...
Mas que merda é esta?
Já ninguém quer ser feliz agora?
Bollamaria - (in)adaptados
De alguma forma, voltamos sempre ao mesmo, como se a vida não passasse de meras variações sobre as mesmas músicas...




Síndrome de mim mesma

doi-cu-an-met-tat-dien-di-ngu-cach-giam-can-khong-ton-mot-xu-danh-cho-nguoi-an-duoc-ngu-duoc



Hoje acordei com a sensação de ser portadora de uma qualquer doença, não importa o nome ou tipo mas sim, a certeza de que sofro de alguma.

É que ao fim de algum tempo percebemos que o nosso tempo é escasso e, ou culpamos alguém, ou não havendo quem culpar, percebemos que estamos tramados.

Ainda há pouco considerava amigos, todos aqueles com quem trocava dois dedos de conversa, a quem ligava três vezes por ano ou fizessem parte do meu passado. Agora exijo cumplicidade, e sem tempo não resta espaço para me aproximar.

Estou doente. Tenho a certeza!

Será que algum dia vou ter fotos minhas espalhadas por algum lugar?

Estes pensamentos levam-me o sorriso e no entanto não me apetece chorar.

Aproximei-me perigosamente de mim e agora percebo que não construí nada, sobram emoções em doses extra mas tão comoventemente indisciplinadas que só me apetece abandoná-las. 

E o verão a chegar ao fim

Aviso

image

Muito mais do que o desejável, o tempo dá lições em salas vazias...|

Do sanatório

demasiada

A olhar para um campo de concentração, com o mar ao fundo, interrogo-me, a que se deve a ausência de fornos. Será um resquício de humanidade, ou apenas falta de verba, para dar continuidade aos trabalhos, intelectuais, forçados?

* Ainda acabo com um canivete suíço nas mãos, a esculpir coisas fofinhas nas árvores

Nem aí pras curvas






Ao contrário da ascendente, a curva descendente do amor é lenta, e morna, como um banho de imersão cheio de espuma de sais e cheiros mais ou menos enjoativo e florais. Que ao marulhar das árvores lá fora, cá dentro, repousa um lugar vazio...



Voo rasante

voo rasante


Recebo várias simpáticas, advertências, por conta da minha ousada forma de me “fazer à pista”. De facto, “arriscar a vida”, não significa que estejamos perante um corajoso, pode, simplesmente, tratar-se de um estouvado a tentar impressionar. A verdade é que no meu caso, as minhas abordagens são bastante úteis, principalmente, porque gosto de arriscar, fazer melhor, no dia que falhar, vai fora, out, caput, como nunca falhou, continuo a aterrar em pistas curtas, em voos rasantes e com pouca visibilidade.
O problema do ser humano é que fica impressionado quando devia ficar convencido!

Perigo


Há momentos que nos deixam em estado de assombro inquieto, o mesmo de que padece quem é apanhado de surpresa e só pensa em desaparecer, por entre pessoas e conversas, como areia fina a sumir-se pelos dedos ou água a recuar ao pé do mar...

Atitude Blasé



Um estudo feito por mim mesma, que sou uma rapariga simples, revela que mulheres com estilo blasé atraem homens inteligentes e homens blasé atraem mulheres burras. Vale o que vale, eu sei mas estamos ou não, na silly season?


Desistir é preciso…


 


Se não fosse esse triste complexo de abandono, o trauma primitivo que nos atira de joelhos contra o chão. Se não fosse essa patética devoção pelo apego a tudo, que transforma o estoicismo em pertinência e faz de nós seres menores, se não fosse isso, desistíamos e pronto!

Anúncio certo





,,, Depois de mais uns tragos em silêncios, monocordicamente afinados, lançou um novo anúncio para o ar “ homem magnífico sobre todos os aspectos, procura mulher medíocre em todos os sentidos”
Os amigos nutriam por ele o maior do respeito, não obstante sentirem que ele devia deixar a bebida.


#bollamaria

Incumprimentos




Hoje é dia de profecia incumprida, dia de não querer a verdade nem sequer a verosimilhança, apenas dia de gostar com A e com isso ficar saciada. 

Quem quer ser poeta quando pode ser o poema?

Ingénua







A destreza com que a ingenuidade explora os territórios da mente, vestindo-os de uma aparência real, instaura a pura devassa. Da ingenuidade não se pode dizer que seja uma virtude admirável, mas a nudez pode ser coisa fértil.

Vou indo



Na vertigem da emoção, um coração galopa-lhe desordenadamente. Às cegas, já sem fôlego, descuidada na forma de andar, dá mais um passo, hesita mas dá mais um passo, e já imensamente próxima dele, suspira uma imensa vontade - Dá-me um beijo! Implorou-lhe com os olhos. - Dá-me um beijo! (Ou vou ter que o imaginar). Deixa cair o vestido pelo corpo abaixo e a virtude esbata-se, tão breve quanto uma passa, de um cigarro, que se devolve ao ar. Depois caminha até à porta e em nome de tudo que só se sente num abraço, promete-lhe não voltar… pensa baixinho - Teríamos sido felizes, se por inteiros os nossos lábios entregássemos e sem medo falássemos do medo de não ficar! . 

Homens comuns





Existência arrebatada dos corações, sucumbe diante da sanidade dos homens comuns, hábeis em repetir gestos esperados, toscos a esconder intenções.


Continuidades


Neles já não há malícia nem pecado, nem medo, nem dor, só passado. As suas memórias confundem-se em continuidade, uma condição quase solene, sem gestos, sem apreensão, ou respeito forçado, só ternura. Talvez não seja isto o paraíso, mesmo assim, naquele instante, lado a lado, perpassa por eles, um nada, tão contagiante, quase louvado...|


Ground Zero



Nem sempre a interrupção de uma guerra é a suspensão temporária das hostilidades, Por vezes as tréguas surgem quando já não há, nada mais, para destruir...

Engana-me



| Dou por mim a sentir falta dos dias em que a minha mente era suficientemente manipulável, para se deixar enganar...|

Estado novo




"Depois morro. Já não existe ar que me separe do gelo. Já não vejo a imagem de mim mesma... A minha percepção das coisas retrocede como a água da maré"

Teoria da transpiração




A exaustão física acontece, quando o instinto de sobrevivência, supera a indesejável, falta de sofisticação do cansaço...|

Bollamaria

Deleta-me hoje

L


Hoje... particularmente hoje, apetece-me trazer para aqui, a insolência de algumas palavras, que se proferem em carne viva... No entanto, não o farei nem hoje nem amanhã...]



Imunitass



O silêncio e a proximidade da água... Vou ali tomar uma quantidade estupida de L.Casei Imunitass e volto já...]


By Bollamaria



Desapego




Por mais imperfeito que se seja o nosso pretérito, este conserva uma parte de nós, que é difícil abandonar, sem manifestar o apego que se tem, por tudo aquilo que julgamos, já não ter serventia...]


By Bollamaria

Teorias do nada








Já praticamente se tinham esquecido um do outro. Restava, apenas, esquecer alguns detalhes. A forma como se tocavam. Como sorriam. Como ficavam em silêncio. A textura da pele. A que sabiam os beijos. A forma como batiam juntos os seus corações... Já quase não se lembravam de Nada...|



Carago



O Porto é assim, com chuva ou com sol, o Porto é feito de Gente, de gente que fala alto e troca os Bês pelos Bês, que acha que a sua, é a melhor cidade do mundo e arrabaldes, e não perde uma boa peixeirada. O Porto é muito mais que o Rio Douro e as suas belas pontes.
O Porto é orgânico, arrogante e solidário, o Porto é ser Portuense e é muito mais do que morar ou ser da cidade, ser Porto é uma virtude e um defeito, o Porto é um Mundo carago!





Que cena



Quem vai à "vida", à procura de um filme delicodoce, que lhe desperte os sentimentos fofinhos, vidas glamourosas e cheias de purpurinas vai desiludir-se, vai sair a meio e encher o bandulho de pipocas coloridas e ruidosas, para afogar a frustração.
Quem vai à procura de um filme controverso com assinatura de autor, tipo Lars Vin Trier, com aquela atmosfera excitante e surpreendente, acaba decepcionado também, ou porque podia ser muito melhor, ou porque sempre falta alguma coisa, os personagens, não seguem nenhum guião e a maior parte do tempo agem como divas esquizofrênicas. Ora estas analogias, assim meio bacocas, são quase sempre desagradáveis de se ver, ouvir ou ler, quanto mais, quando, nos vemos, a nós, retratados nelas.

Trate de encontrar a sua "personagem" e independentemente do elenco, orçamento ou produção, faça com que a sua "cena" seja a mais genuína e interessante de todo o enredo!



By Bollamaria


Compotas com U



É do senso comum, que o ser humano tem uma capacidade inata, apuradíssima, para se vingar de qualquer coisa que mexa à sua volta. Jogos de manipulação, processos de difamação, cusquices, atropelos, boatos, ameaças, tudo serve para que o personagem de certas histórias rocambolescas, se sinta vitorioso e de alma lavada.
Pois é, eu tenho a capacidade de vingança, de uma compota de marmelo, violá.. tenho consciência que deveria desenvolver um pouco, essa minha capacidade, pelo menos no que diz respeito à parte do, apuradíssima, para ver se incremento a venda de marmelos!

By Bollamaria

Respect please


O problema de queremos coisas muito simples, é tornar-mos-nos demasiado exigentes.

Bolamaria in(...)

Manuel Forjaz




Muito será dito sobre ti, sobre a tua vida, a tua obra, a tua coragem e sobre o teu exemplo, de tenacidade e vigor, de homem livre e libertador...
De alguma forma, quero acreditar que hoje, roubaste o prazer da caçada, ao "Caçador"

Beijinhos Manel

Não digas mais nada


Tirem-me deste parágrafo, só preciso de mais umas quantas palavras, para marinar numa sopa de letras, até me afogar… 


By Bollamaria




A refletir



Vivemos num tempo de mudança até à náusea, da apologia ao "falhanço empreendedor", às ideias fora de uma qualquer caixa, que ainda não entendi exatamente qual é, nem quem define o que está dentro ou fora, feita por mimetismo ao "american way of life", onde tudo se resume a duas espécies, winners or losers... Vou pensar melhor nisto!


By Bollamaria

Amizade




Pensando bem, isto pode ser o inicio de uma bela amizade!

By Bollamaria

Verdade?


A Verdade é uma mentira altamente impiedosa

Bollamaria in(...)



Noutro sentido


Tenho que me libertar da ansiedade, de legendar as fotos de que gosto, com frases que façam sentido, isso não faz sentido nenhum...

By Bollamaria

Direito de resposta





Decreto para mim o direito de sentir falta, daqueles que me vão faltando e chorar os que me faltam mesmo fora dos dias, que por falta de melhor data, me faltaram. Mais decreto ainda, o direito de sentir falta, mesmo daqueles a quem faltou a certidão para me faltarem!


Bolamaria in(...)

Caos



A imperfeição é uma fonte inesgotável de novas oportunidades...

By Bollamaria

Asma


Dá-me uma expressão qualquer. Se puderes, uma em que eu consiga respirar!

Bollamaria in(...)

Sê meiguinho comigo


Às vezes apetece-me perguntar ao tempo que passa por mim, para onde vai ele, com tanta pressa.

Bollamaria in(certezas)

Por defeito



Há locuções prepositivas que me põe os nervos em franja, me dão comichão na ponta dos dedos e me deixam com as sinapses arrepiadas e com dificuldade em travar o refluxo estomacal, uma delas é está do, "Em virtude de...", mas qual virtude é assim tão difícil dizer que NÃO?

By Bollamaria

Fama



Ter um ar classic-chic, conseguir articular um discurso coerente por mais de 10 minutos e ter um toque ligeiramente altaneiro, não garante a ascensão intelectual a quem quer que seja. É Também necessário, ser razoavelmente bem-parecido...



Calem-se



Não é silêncio, são as vozes que isolam, que aprisionam e cravam no rosto, uma expressão de soluço, que se confunde com a água do mar.
Como se houvesse um corte entre o que se ouve e o que se consegue pensar, ali mesmo, no ponto mais elevado do pensamento, onde ela GRITA!


Bollamaria in(grido)

Uma questão pronúncia




Deixo que se ocupem as minhas mãos com pequenas coisas, finjo até distrair o tempo, para poder guardar as grandes, no fundo do alçapão.

- Mana?
- Quê...?
- Não é alçapão que se diz...
- Então?
- Diz-se, Coração!
- Ah...!

Bolamaria in(correção)

Está aí alguém?



É inquietante reconhecer que as pessoas, de uma forma geral, mergulharam num estado de solidão, de tal forma galopante que facilmente se sentem afundar em areias movediças. Não é por maldade que se mergulha nas pequenas indiferenças, nas desconsiderações ligeiras ou mesmo no fingimento ocasional. 
Não julguem levianamente a pobreza que nasce da "solidão"


Bollamaria in(quieta)  



Fecha a porta ao sair





| São como sombras que invadem casas devolutas, abandonadas, como noivas breves | 

| Dúvidas tão certas que privam de toda a anima, o gentil regresso, da dor profunda que me acalma o resto |

| Incerteza sã que me alimenta o ego, afasta de mim a cruel simpatia, essa que nem por magia mereço |

| Afasta de mim, essa calma vazia que tanto odeio e espero, ou então mata-me | 

| Não existe pior comoção, que conseguir a compaixão de quem desprezo |





By Bollamaria

Intermitência





A lubricidade, têm duas caras. Uma, o prazer superficial, ilusório. A outra, o fastio eterno. Caminho de acesso a lado nenhum, travessia pela travessia, intermitência, só isso!

By Bollamaria


É mais ou menos assim



| A intuição é uma treta. Pensamos que sabemos o que vai acontecer mas não, não sabemos e nada acontece nada. E porquê? Porque não há nada  para  acontecer |

By Bollamaria


Em digressão




| Há momentos em que é para agarrar a vida, com as duas mãos, sacudi-la como um longo lençol de seda branco, e passar por baixo |

By Bollamaria