(E) imersa

.


.
Imersa em mim,
visceralmente sozinha,
Apelo ao desejo
A utopia em me exceder…
.
Sei-lhe o tamanho da vontade,
Mas à minha distancia
Lança-me com arrogância,
O seu silêncio cobarde.
.
Calo mas não me enfraquece
Cedo-lhe a taça do dia,
Dita o povo em sabedoria
Que a dor nos endurece.
.
Sei-lhe o tamanho da vaidade,
E como aprendiz dos sábios
Usa o rubor dos seus lábios
Para dissimular a verdade.
.
Emersa em mim,visceralmente assistida
Demando à minha paixão
A utopia em me conter…
.
De 0 a 10 ... excesso de adrenalina :)
By Bollamaria
.
..

3 comentários:

Daniela Mann disse...

Muito obrigada pela visita ao meu amar-ela. Gostei muito do teu comentário e também acho que o teu blog é um espanto!
Beijinhos da Daniela

FAP-From Another Planet disse...

Minha MARIAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Estas a exceder-te, está aqui está a sirene a apitar, mais uma mulher nua!?!?!hehhehhehe
Estas a deitair paixão e adrelalina pelos poros!
Vê lá tu que estou aqui e nem preciso ler e sinto, ca gandaaaaaa excesso que vai por aí!!!!
Fabulásticaaaaaaaaa!


je t'aime
(há quanto tempo não te diziam isto... em franciu? hemmm? ;))


F.A.P.

07.09.24

FAP-From Another Planet disse...

Haaaaa afinal tb tens aí... um hombre nuuuu!, qz não se vê mas está!uffffffff estava a ver que não!

heheheh


F.A.P.