Mentira!
























Já não passas de uma sombra tua,


Embaças o que outrora brilhou cintilante,

Flutuas, erupto na memória de um momento bom,


Ofendes o âmago do fruto sublime que já não há em nós,

Evades, arquejante, sonhos desmedidos, que já não têm voz,


Agora, procuras atrevido, insano, um recato escondido para voltar.




By Bollamaria

07/04/01

2 comentários:

Verruga disse...

Sempre lindo e poético aquilo que escreves .
Mas é mais forte que tu... a ponta da faca está sempre afiada .
Por acaso é só um asterisco, se fosse gente estáva todo feito em picadinho ahahahahahahahahahahahaha

Beijos as fatias, mas muito docinhos.

P-Bolladequalquercoisa

BoLLamaria disse...

Pois que não se deve evitar o inevitavél... tão fortes como eu, mais afiadas do que eu, assim são as minhas palavras, muito menos do que eu.
Confesso que recorro a fontes de inspiração que são provavelmente tanto como eu.

Beijos com muita luz

P.S. Obrigada por regessares "bem"